❝ My Angel — Capítulo 7


❝ Just Give Me A Reason To Live

Estas alegrias violentas têm fins violentos. Falecendo no triunfo como fogo e pólvora, que num beijo se consomem.
Romeu e Julieta, Ato II, Cena VI.
***
Dor. Tristeza. Frio. Vazio. Nada.
Parecia que eu estava alternando em um estado de consciência e inconsciência, enquanto uma névoa negra muito forte me envolvia. Minhas pálpebras pareciam estar pesadas demais e eu mal conseguia ficar consciente por mais de dois segundos.
Mas mesmo com aquele torpor interminável, eu sentia que havia algo de muito importante que eu precisava me lembrar e quando isso acontecesse, eu iria conseguir sair daquele estado de inconsciência. Era como se o meu corpo, tivesse tentando me proteger de uma realidade obscura, abrigando-me num lugar dentro da minha mente sem lembranças – ou quase sem.
Havia algumas coisas que eu sentia.
Dor. Uma dor insuportável no meu peito.
Tristeza. Uma tristeza dilaceradora que me puxava ainda mais para aquela escuridão.
Frio. Era como se as minhas veias estivessem gélidas ao extremo, como se todo o calor do meu sangue tivesse sido evaporado.
E o que eu mais temia... O vazio e o nada.

❝ My Angel — Capítulo 6


❝ Just One Last Kiss

Olhos vermelhos como sangue era tudo o que eu via. Olhos assassinos que estavam ali com um propósito.
Nos matar.
- Aro – a voz de Edward estava fria e áspera. – Porque será que eu não estou surpreso em vê-lo?
Outros vampiros envoltos á um manto negro começaram a aparecer. Meu sangue gelou quando eu vi Jane, Felix e Demetri, ambos com um sorrisinho cínico nos lábios.
A intenção deles estava mais do que clara.
Vingança. Eles queriam vingança.
E a morte era o preço.
- Ora caro Edward, porque recusastes ir ao meu encontro? - murmurou Aro de uma maneira muito cordial e doce para ser verdadeira. Aquele imortal tinha uma expressão assustadoramente gentil. Sua pele era extremamente branca e contrastavam com seu cabelo preto na altura do ombro.
Sua voz era amigável e entusiasmada, mas seus olhos vermelhos o contradiziam.
Morte, sangue, crueldade... Era tudo o que eu conseguia ver nos olhos daquele vampiro.
- Porque já tinha plena consciência de seu propósito a ordenar aos seus subordinados que viesse atrás de mim, Aro – Edward respondeu.
- Claro que sim, afinal, não haveria como esconder nossos propósitos de alguém com um dom tão peculiar como você, Edward – disse um dos vampiros ao lado de Aro, que por sinal eram ambos muito parecidos um com o outro. Ele tinha os cabelos brancos como a neve – do mesmo tom de sua pele – que roçavam no ombro. Ao seu lado havia outro vampiro, esse tinha os cabelos negros como os de Aro. Os rostos tinham a mesma pele de papel de seda.
Ao observar os três vampiros um ao lado do outro me dei conta que o trio do quadro de Carlisle estava completo, inalterado pelos últimos trezentos anos desde que fora pintado.

❝ My Angel — Capítulo 5

❝ Romeo and Juliet

A curiosidade estava me corroendo.
- Então é isso, você não vai me dizer o que é? – perguntei mais uma vez enquanto terminava de beber meu suco.
- Não, você é muito curiosa – ele deu risada brincando com um das mexas rebeldes de me cabelo que não queriam ficar no lugar.
- Tudo bem, então vamos logo dar uma volta – disse, colocando-me de pé.
Edward me puxou naquele exato momento para seus braços fazendo com que eu caísse em seu colo.
- Hey! – resmunguei meio sem fôlego com a proximidade de nosso rosto.
Seus olhos subiram da minha boca para os meus olhos, apenas um pouco antes dele unir nossos lábios num beijo lascivo.
- Porque a pressa? – sussurrou olhando intensamente em meus olhos. – Temos tempo.
Gostei da idéia de tempo.
A porta se abriu e Alice apareceu discutindo no telefone.
- Isso mesmo... Te espero na recepção – ouvi ela murmurar, um pouco antes de desligar o celular.
Fiquei de pé novamente. 
Edward segurou minha mão, mantendo-me ao seu lado.
- O que foi? – Edward perguntou a irmã.
- Acho que temos um problema. Jasper mentiu para mim – ela disse.
- Como assim? – perguntei.
- Ele esta aqui na Itália. Desembarcou no aeroporto há uma hora, está a caminho daqui – murmurou com um suspiro.
Edward levantou e envolveu seus braços na minha cintura.
- Isso não é nada bom – Edward murmurou. Seus braços se estreitaram a minha volta e eu o conhecia bem o suficiente para saber que ele estava tenso.
- Acho que não há perigo, não o vejo decidindo nada que possa nos colocar em risco. Mas sabe como Jasper é, muda de idéia a cada dez segundos, é impulsivo – disse Alice com um careta, apoiada na bancada.
- Ele não deveria ter vindo para cá, ele pode agir por impulso e decidir ir atrás dos Volturi. Estamos correndo risco aqui, apesar de para todos os efeitos já estarmos bem longe da Itália, não é seguro. – disse Edward.

❝ My Angel — Capítulo 4

❝ New Moon

Eu estava errada quando disse que não estava cansada. Com Edward acariciando meu cabelo e sussurrando minha cantiga de ninar, eu acabei adormecendo nos braços dele mais uma vez.
Quando acordei, me dei conta de que havia dormido demais.
Abri meus olhos piscando algumas vezes para me acostumar com a forte claridade do quarto. A claridade que entrava através das cortinas brancas, em frente às gigantescas janelas de vidro, era forte.
- Mas já acordou? – Edward sussurrou, dando um beijo em meu ombro.
- Não devia ter me deixado dormir tanto – disse a ele, apoiando-me nos braços para olhar nos olhos dele.
- Você estava cansada meu amor. E além do mais eu adoro ver você dormindo – sorriu.
- Nunca vou entender isso.
- Entender o que? – questionou.
- O fato de você gostar de me ver dormir. Não é algo interessante – revirei os olhos.
- Você esta se esquecendo de um detalhe – disse.
- Qual?
- A pessoa em questão que eu gosto de ver dormindo é você, e você fala dormindo. – arqueou uma das sobrancelhas perfeitas.
- E eu vou querer saber o que eu disse dormindo? – dei risada.
- Na verdade, por incrível que pareça você nada disse. Mais uma prova de que você estava cansada, senhorita Swan.
- Ainda bem! – suspirei aliviada. Nunca gostei muito do fato das pessoas ficarem ouvindo o que eu digo quando estou dormindo, mesmo que essa pessoa seja Edward.
- As pétalas das rosas ainda ficaram presas no seu cabelo – sussurrou, mexendo nos fios de meu cabelo que caia em ondas um tanto embaraçadas por minhas costas e meu rosto emoldurando-o.
- Porque será né? – sorri, com as lembranças da noite passada.

❝ My Angel — Capítulo 3

❝ Seduction

- Hora de acordar bela adormecida – ele sussurrou, depositando pequenos beijos por meu rosto e meu ombro, fazendo com que calafrios percorressem meu corpo.
Eu já estava acordada há algum tempo, porém estava com medo de abrir os olhos e perceber que toda a noite havia sido apenas um sonho.
Meus temores iram inúteis, afinal, eu estava no acalento dos braços de meu amor. Isso eu jamais teria criatividade o suficiente para imaginar.
Ele realmente estava ali comigo e a mágica noite que nós passamos juntos havia sido real.
Acordar nos braços dele era a maior prova de que tudo era real.
Abri meus olhos.
Será que alguma outra manhã havia sido tão radiante em minha vida quanto aquela?
- Bom dia – sorri, enquanto Edward acariciava meu rosto com um sorriso lindo no rosto. O brilho intenso de seus olhos e o sorriso de felicidade já falava por si só.
Definitivamente, não. Nenhuma outra havia sido tão perfeita como aquela.
- Bom dia, meu amor – sussurrou e então ele beijou levemente meus lábios – tudo bem? – perguntou.
- Uhummm... – assenti - Que horas são? – perguntei olhando para as janelas, onde as cortinas brancas que se movimentavam lentamente com a brisa. Pela pouca claridade, o dia ainda devia estar nascendo.
- Deve ser um pouco mais de seis horas da manhã, de acordo com o fuso horário daqui.
De repente me lembrei de uma coisa, ou melhor, de alguém.
Alice.
Meu Deus, ela havia saído ontem para deixar Edward e eu conversar a sós.
Aonde ela havia ido?
Espera aí, será que ela havia passado a noite na sala da cabana?
Senti meu rosto queimar de tanto que esquentou e corou.
E se... E se ela tivesse ouvido alguma coisa do que aconteceu entre mim e Edward durante a noite?
Não havíamos feito amor apenas uma vez... Haviam sido quatro!
Uma na calada da noite e três durante a madrugada. Digamos que a palavra dormir, não se aplicou naquela noite.
Quanto mais eu pensava sobre o assunto, mais meu rosto esquentava.
- O que foi, meu anjo? – perguntou tocando meu rosto em brasa.
- Alice – pronunciei o nome dela meio desesperada - Onde ela está?
- Hummm... não sei. Ela saiu ontem à noite e nos deixou. Pelo que vi na mente dela antes dela sair, ela foi caçar – deu de ombros.
- Hummm... – franzi a testa.

❝ My Angel — Capítulo 2

❝ Come What May


Pela primeira vez, eu realmente me sentia intacta.
O fantasma do buraco em meu peito havia desaparecido, e em seu lugar tudo o que eu sentia era felicidade.
Encrencados?
Sim, e como estávamos.
Mas o mais importante era que Edward e eu estávamos juntos.
Nós poderíamos enfrentar qualquer coisa, desde que tivéssemos um ao outro.
- Tudo irá ficar bem, amor. Eu prometo – ele havia me dito agora a pouco quando perguntei sobre os Volturi.
Se eu dissesse que não estava com medo do que eles poderiam fazer contra nós, estaria mentindo. Os Volturi eram muito poderosos, eles representavam a realeza no mundo dos vampiros. Edward e Alice tinham dado o ‘fim’ em Demetri e Felix e arrancado os braços da pequena Jane. Não tinha dúvidas de que eles não deixariam isso passar.
- Acha mesmo, que eles não viram atrás de nós? – perguntei, abraçada com Edward deitada sob o tapete perto da lareira, enquanto ele depositava beijos sobre minha pele do pescoço até o ombro, causando-me arrepios.
- Hoje não. Sei que eles não deixaram isso passar em branco, mas eles não vão vir atrás de nós, não agora. Além do mais, eles não sabem onde nos encontrar. Para todos os efeitos, a essa altura já estamos bem longe da Itália. Minha família não está em Forks, então eles estão seguros. Alice está aqui conosco em Verona, e veria se eles decidissem agir, portanto, não precisa temer, meu amor. Tudo ficará bem, eu prometo – ele me beijou.
Um beijo cheio de amor e carinho. Um beijo que começou lento, mas depois se tornou enérgico, forte, provocante, intenso... cheio de desejo... paixão...
Ele nunca havia me beijado daquela maneira. Até agora.
Envolvi meus braços em volta de seu pescoço para fazer com que aquele momento durasse mais. Parecia que eu nunca tinha o suficiente dele. E duvidava de que algum dia tivesse, mesmo que vivêssemos para sempre.

❝ My Angel — Capítulo 1


❝ Believe In Me


A chuva caia do lado de fora da cabana e o fogo crepitava lentamente na lareira.
Eu não queria ficar ali. Eu não podia ficar ali.
Não era saudável para mim, eu sabia disso.
Mas eu também sabia que era necessário, e eu havia prometido a ele que iria esperá-lo.
Sim, ele Edward Cullen.
O homem que me abandonou e me machucou. O homem que quando soube da notícia de minha suposta morte, tentou se suicidar por sentir culpa. E também aquele que me amou como ninguém, assim como eu o amei e ainda o amo, mas infelizmente esse amor não já não é mais recíproco.
Eu o amo, mas ele não, afinal, eu não era - nem sou - boa o suficiente para ele.
Durante muito tempo, eu não consegui sentir meu coração batendo em meu peito, parecia que havia um buraco enorme dentro de mim, um buraco que sangrava e se abria cada vez mais, lentamente e doloroso a cada dia. Mas desde o momento em que me deparei com o amor da minha vida novamente, parece que tudo se apagou.
Parecia que toda a dor, todas as feridas haviam desaparecido. Não curadas, mas como se nunca houvessem existido.
E era nessa pequena esperança de manter isso por mais algumas horas, de me sentir inteira, sentir meu coração batendo em meu peito, sem dor, sem tristeza, sem ardor... Que eu estava me agarrando para permanecer naquele quarto da cabana, até que Edward voltasse.
Ele havia me feito prometer que iria esperá-lo voltar, e para garantir havia deixado sua irmã – e minha melhor amiga – Alice de babá.
Enquanto eu observava a chuva cair lentamente pela janela, Alice estava sentada no sofá em frente à lareira conversando com sua alma gêmea, Jasper.
Se ela não conseguisse acalmar seu marido, concerteza ele viria até a Itália atrás de nós e isso não era nada bom. Nada bom mesmo.
Eu sabia o que acontecia quando Jasper perdia a cabeça, havia presenciado isso no meu aniversário de 18 anos quando ele tentou me matar por não conseguir se controlar ao cheiro do meu sangue, mas eu não podia culpá-lo. Nunca.
Jasper era um vampiro, e não estava tão acostumado a dieta vegetariana assim como os outros Cullen, e eu havia me cortado acidentalmente com o papel do embrulho de um dos presentes, e havia sangrado.
A culpa era minha. Eu havia me cortado e me colocado em risco.
Mas dessa vez era outra história.
Quem estava em risco era a mulher da vida dele, Alice e o irmão dele Edward. E eu também para variar.
E mais uma vez a culpa era minha, afinal, havia sido eu quem pulou daquele maldito penhasco e quase morrido afogada.

❝ My Angel — Prólogo

Olá pessoas bonitas! ^^
Demorei, mas finalmente estou começando a postar My Angel aqui no blog. Vou postar todos os capítulos ao mesmo tempo até onde eu parei no Nyah!.
Boa leitura! :)
❝Prólogo

Tudo estava negro.
Eu não podia vê-lo, mas eu podia senti-lo.
- Fique comigo. Fique comigo para sempre - implorei.
Ele suspirou.
- Eu te amo, Bella. E eu sempre vou estar com você e te amar. Por toda a eternidade – prometeu, acalentando-me em seus braços.
- Como? Como estará comigo? - eu quis saber.
- Nos teus sonhos, nos teus pensamentos, nas tuas lembranças e no nosso filho que irá nascer, meu amor - sussurrou pousando as mãos sobre meu ventre levemente.
- Mas não será real. Você não estará ao meu lado, nem nosso filho você verá nascer – murmurei, sentindo uma lágrima escorrer por meus olhos.
Ele beijou minhas pálpebras.
- Não chore meu amor. Sempre irei lhe proteger, sempre estarei ao seu lado e um dia eu irei voltar e então será para sempre. Confie em mim – pediu beijando meus lábios.
- Eu confio. E eu vou te amar e te esperar, nós pertencemos um ao outro. Por toda a eternidade – sussurrei pousando minha cabeça em seu peito, enquanto ele me abraçava.
- Por toda a eternidade – ele beijou minha testa.
Abri meus olhos e a dura realidade me tomou.
O choque foi duro demais, doloroso demais.
Ele não estava ali. Meu amor, meu anjo não estava ali.
Havia sido apenas um sonho.
 
Template feito por Nathalia Almeida, exclusivo para disponibilização no Single Themes. Não retire os créditos!